Solidariedade, alegria e economia forte


Rio de Janeiro, cidade maravilhosa, eleita pela Revista Forbes a mais feliz do mundo e o seu povo o mais acolhedor e solidário do nosso país. Com uma natureza de doer os olhos com tanta beleza, também traz na veia os bens e os males de todas as cidades grandes, com uma grande diferença: está protegida pelo “Cristo Redentor”.


A preservação da natureza é uma das palavras de ordem da política urbanística da cidade. Mais do que uma conscientização, manter os tesouros ecológicos é um exercício natural para seus moradores. O Rio de Janeiro abriga a maior floresta urbana do mundo: a da Tijuca. Além disso, tem um litoral que banha metade dos limites da cidade e uma coleção de biomas, que vão das matas nativas a manguezais, de morros monumentais a praias quase virgens. Uma beleza sem fim.


Lugares imperdíveis


As praias - a mais famosa é a de Copacabana. Seus 3,4 km de extensão começam na Av. Princesa Isabel e terminam no Forte de Copacabana. E a mais longa delas é a praia da Barra da Tijuca com mais de 18 km ao longo da Av. Sernambetiba.


Arcos da Lapa e Santa Tereza - Os Arcos da Lapa se mantêm como principal monumento do Rio colonial. Sua magnífica estrutura é composta por 42 arcos de dupla arcada.


Corcovado - Cristo Redentor - O Morro do Corcovado, tendo em seu topo a imagem do Cristo Redentor, é um dos principais símbolos da cidade.


Floresta da Tijuca - Situado em meio à área densamente populosa da cidade do Rio de Janeiro, o Parque Nacional da Tijuca é a maior floresta urbana do mundo, com uma área de 3.300 hectares


Jardim Botânico – Na imensa área verde de 1,4 milhão de metros quadrados são cultivadas cerca de cinco mil espécies de plantas e árvores tropicais. O jardim ainda abriga o Museu Botânico, uma biblioteca com acervo de 76 mil


Pão de Açúcar - Um dos principais pontos turísticos do Rio de Janeiro pode ser visto logo à entrada da Baía de Guanabara. Composto por dois trechos, o primeiro vai da Praia Vermelha ao Morro da Urca atingindo 224 metros de altura, e o segundo trecho, do Morro da Urca ao Pão de Açúcar, de 395 metros de altura. A viagem no bondinho dura aproximadamente 3 minutos em cada trecho.


Para dançar - Berço do samba, da bossa nova, do chorinho, ouve-se música no Rio de sol a sol. Pode ser à beira mar, num quiosque da Lagoa Rodrigo de Freitas ou em redutos autênticos do samba como a Casa da Mãe Joana, em São Cristóvão.


As casas de espetáculos sempre estão com suas agendas preenchidas. A mais famosa casa é Canecão. No Rio também se encontram as boates, como o Hard Rock Café (Barra da Tijuca) e a Nuth, uma grife nacional. Na Zona Sul, o Méli Mélo oferece diversos ambientes e no centro, os espaços mais badalados são a Symbol e o Arco do Telles.


Mas é na Lapa que todos os estilos se encontram. Vizinha ao centro consegue equilibrar desde casas de dança tradicional, as chamadas gafieiras - como Asa Branca, Elite e Estudantina, ou mais modernas como Carioca da Gema e Rio Scenarium.


Sobre a Economia - Mas não só da beleza, de diversão e do turismo que vive o Rio de Janeiro. A estrutura da moderna economia da cidade é uma das que mais cresce no Brasil e vem sendo apontada como uma das mais dinâmicas do mundo, figurando, atualmente, entre as dez mais no ranking das grandes metrópoles.


Os principais fios condutores da prosperidade carioca são a captação dos royalties da extração do petróleo da Bacia de Campos, o volume de investimentos de todas as esferas de governo – federal, estadual e municipal – nos últimos três anos, e a transformação na cidade, para adequá-la às obrigações como sede da Copa do Mundo de 2014 e dos Jogos Olímpicos de 2016.

Sepsis 2013 Rio & X Fórum Internacional de Sepse - 2013
Realização: Internacional Sepsis Forum | Instituto Latino-Americano de Sepse | AMIB - Associação de Medicina Intensiva Brasileira
Criação: Plano A Publicidade e Propaganda